terça-feira, 13 de dezembro de 2011

XIII Volta da Pampulha I

Já dizia o novel escritor: "existem corridas para competir e existem corridas para celebrar".

A volta da Pampulha seria para mim uma corrida do segundo tipo. Celebrando além das amizades que as corridas têm me proporcionado, o fechamento das atividades de mais um ano, que foi repleto de alegrias. Desde 2008 que me inscrevo nessa prova, e sempre um contratempo me impede de participar...nesse ano, consegui debutar.

Para minha surpresa (e que surpresa!), encontrei Drica e Sergio no saguão de embarque do Galeão. Eles esconderam de quase todos (a língua não coçou Miss?) a participação em última hora na volta, mas já dizia mamãe, mentira tem perna curta. A cara de decepção quando me viram, estragando a surpresa, foi de dar pena... de sarro, fingi um telefonema para o Miguel pedindo para que ele adivinhasse quem eu peguei no flagra em pleno saguão...e olha que almocei com a Drica na semana anterior e ela não deixou escapar nadinha....e isso porque sou padrinho.

Foi muito bom ao desembarcar em Confins, rever o casal bonitão (Meire e Marcos). Tá certo que a recepção não foi à la Meire, com bandeja de pão de queijo e café com leite, mas ela prometeu para a próxima chegada em BH, e eu quase não gosto dessas coisitas e recepção calorosa. Já estava com o estômago colado nas costas, quase 17h e eu sem almoço. Encolhi a barriga para ela não roncar no trajeto para BH, e torcendo para  o Marcão (o melhor guia turístico de BH) nos levar para o mercado municipal. Infelizmente não deu tempo.

Fizemos a volta na lagoa, e é tudo muito pertinho (de Mineiro). Paramos na Igrejinha para fotos. Achei tudo muito bonito.

Famosa Pampulha


Mineirão e Mineirinho visto da Pampulha, fiquei com desejo do tradicional tropeiro que é marca registrada nos jogos dali.


Pai e filho - faltou só saborear o tropeiro!

Ficou boa Drica, o padrinho sabe tirar fotos artísticas

Dali, rumamos para um mirante, para ver BH do alto. No caminho, sentia falta dos prédios da cidade, era questão de tempo para descobrí-los. Antes de chegar lá, passamos pela tradicional rua do Amendoim, um ponto turístico da cidade, um caso clássico de ilusão de óptica (uma descida onde o carro sobe). Se o Marco conseguisse essa proeza com um carro automático, eu pegaria o voo de volta dali mesmo.

Quem disse que BH não tem prédios?


Drica pediu para tirar uma foto minha, não poderia negar...mas não consegui conter minha irradiação, estava muito feliz, e acabei atrapalhando o trabalho dela...como diria Marinês, "sorry eu".


Isso aqui se parece muito com minhas quebradas, me senti em casa!

Preciso comer algo pessoal.
Não deu tempo de pegar o mercado municipal aberto, mas fomos a um lugar bem agradável, onde pude tirar o atraso. Ponto para a empadinha do lugar (tanta fome que nem lembro de que era o recheio), boa demais. O pão de queijo estava frio, mas mesmo assim, gostoso. E Drica aproveitou para anotar a dica  dessa deli para seu livro de gastronomia, a ser publicado em breve.


Dali partimos para o jantar de massas...talvez o Dundes e a Dani Kato agora desconfiem porque fui tão frugal no jantar.

Pizarria lotada, encontrar a maioria dos amigos, e papear e papear. Finalmente conheci Claudio Dundes!  (bom te dar aquele abraço quebra-costelas gordão), Felipe de Souto e Marayse. Além de rever tanta gente querida. Ver a chegada de Miguel com um celular em cada orelha foi divertido...naquele momento pedi a Deus para lhe dar mais uma boca também.

Com Gilmar, ficaria a noite toda conversando. Como tenho título de nobreza (Dom), pedirei a rainha mãe para lhe dar o título de Sir. É um getleman. E a voz é pausada, diferente dos demais lá de riba que parecem uma metralhadora pra falar, né Sereia? Fica brava não, vou lhe dar um parágrafo especial.

Sereia fala rápido e cantando, mas eu acho lindo viu!? E adoro a gargalhada dela. Ela está desconfiada comigo, acha que estou virando empresário, e montando uma budega. É para consumo próprio Sereia kkkk. Te agradeço pelo carinho de sempre, e por colaborar com minha budega tá? Obrigado pelo doce de leite. Agradeço também a Mayumi pelas iguarias japonesas (que a Dani obviamente não conhece), a Gilmar pelo bolo de rolo, a Elis pelos livros....nossa!! Muito obrigado por tudo queridos!

No jantar tive também o prazer de conhecer o Saulo, autor do livro "Igual mas Diferente". Foi um grande prazer. Ele e a esposa Sandra são gente da melhor qualidade. É pena que a confusão do momento não nos permitiu sentarmos juntos numa mesa para batermos aquele papo, pois todos temos muitas histórias para contar, mas oportunidades é o que não faltarão...para quem não conhece, ou ainda não leu o livro do Saulo, fica a dica.

Mayumi, Saulo e Sandra
Eu ficaria horas e horas falando do jantar...mas vou terminar com apenas mais cinco notas...

Rever Katryny, a quem conhecia de blog, e pessoalmente tive o prazer de encontrá-la na prova da ponte Rio-Niterói no início do ano, mas foi tudo muito rápido demais (acho que ela nem lembra disso). Parabenizei-a pela excelente prova na Argentina (K42), a mulher é guerreira demais, é das nossas! E não pude me conter, e incorporar o repórter da Contigo, afinal, meus leitores estavam curiosos para saber...perguntei então se rolou a unha preta!

Celebrar, ainda que muito rapidamente, os 34 anos de matrimônio de Ivo Cantor e Marly. Ivo é gema preciosa, amigo, mestre e exemplo de onde queremos chegar como corredor amador. Ivo, a galera estava esperando uma palinha sua, pois pensavam que você era cantor. Informamos que o Cantor era sobrenome, e a gargalhada foi geral.

Reencontrar a companheira de estreia em maratonas, Lana, e saber do belo plano de celebrar os seus 50 anos no ano que vem, correndo os 50 km de Friburgo. Vamos estreiar nas ultras juntos!

Conhecer Felipe de Souto e Marayse, e comemorar mais uma vitória de nossa advogada, dessa vez tendo Elis como cliente. Pena que não tinha lugar na mesa para todos, e vocês ficaram afastados, mas a gente tiraria o atraso no dia seguinte.

E o sucesso do calendário da Drica, roubou a cena!!!

Senti falta de conversar com muita gente, e também de conhecer outros Baleias, especialmente o povo do Paraná. Com a DaniFakeJapa e o Vinicius eu consegui tirar o atraso no dia seguinte, mas faltou muita gente ainda. 

Vou parar por aqui e deixar o relato da corrida (que foi a mais divertida que já fiz) para depois, senão podem me confundir com Homero e sua Odisseia. Aguardem a parte II - a Missão.

Meire e Bonitão, obrigado por esse dia inesquecível!

18 comentários:

  1. Padrinho, eu sou a melhor melhor do mundo em guardar segredo. Só vc mesmo para estregar parcialmente a surpresa né? Caraca!

    Mas Deus sabe o que faz e vc só se deu bem com a nossa surpresa, né? No pré e pós prova ... hahahaha

    As fotos ficaram lindas! A corrida foi perfeita! Conhecer os amigos virtuais e estreitar os laços de amizades, tem preço não, melhor coisa do universo.

    Que venha 2012!

    ResponderExcluir
  2. Hehehehe, pão de queijo original deve ser bão demais. Tutu já é.

    ResponderExcluir
  3. Mari Sereia Baleias Recife13 de dezembro de 2011 16:03

    Ei Dom, obrigada pela parte que me toca, tirando o "sorry eu".......hehehehehe.......é mesmo sou apressadinha, aperriadinha, falo muito e rápido as vezes fico me policiando e brigando comigo mesma mas não tem jeito faz parte da minha natureza........hehehehehe.........correr os 17.800km ao lado de vocês (tu, Elis e Katrini)foi pouco para tanta alegria , energia e diversão, adorei a experiência em caçar Baleias. só não podemos repetir em maratonas, assim a gente vai quebrar bonito......hehehhe

    xeiros........inté julho/2012

    ResponderExcluir
  4. Ah.... então foi isso, chegou de pancinha cheia. Daí tive que comer a sua parte. Pampulha tinha de ter 42kms...

    Dom Hoffmann, já estou aguado pelo resto do relato. Empolguei-me no abraço. Na próxima vida venho magro e menos espalhafoso, porque nessa... não tem jeito.

    ResponderExcluir
  5. Oi queridão,

    Ah tá!!! Demora pra escrever o relato e ainda faz em 2 partes? E o pior é que todo mundo tá fazendo isso.

    Eu, a anciosa, tive que fazer num tiro só. Da próxima vez vou torturar tudo mundo tb.

    2 coisas que aprendi: não comer nada no jantar de massas (aprendi isso com vc, mas agora entendi o pq da falta de apetite....rs)e relatos sempre em 2 ou 3 partes. Sou juvenil mesmo!!!!

    KKKKK....eu fui uma das que gargalhou com o sobrenome do Ivo Cantor. Eu jurava bem jurandinho que ele era cantor.

    Puts, eu sou a japa mais FAKE de todos os tempos pelo jeito. Ninguém mais acredita que sou japa.

    Bjos,
    Japa FAKE - Dani
    correndoemagrecendo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Ô loco! Só essa primeira parte já foi antológica... Nem precisava da prova em si! No aguardo das cenas dos próximos capítulos.

    Valeu pela citação!

    Abraço

    ResponderExcluir
  7. foi um fim de semana muito especial!
    celebrar os amigos, brincando, conversando, correndo, e comendo, bom demais! kkkkkkkkkkk

    hoje de manhã, durante mais um percurso de orientação, devorei algumas das bananinhas doces, que fizeram sucesso com um casal de amigos que estavam comigo no meio do mato;)
    meu filho não se cansa de comer a delícia e elogiar: "mãe, isso é muito bom!"

    muito obrigada, por tudo!
    gostaria de ter conversado mais com cada um dos que estavam lá conosco no jantar e na festa!
    a turma do Paraná é muito bacana!

    Friburgo promete!
    50km... dá pra caçar muitos Baleias;)

    bjs
    http://elismc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Nossa mãe,... tsc, tsc, já louca pra ler o resto. Você fala e eu acho que já te conheço, e você fala dos outros e eu fico aqui rindo e imaginando. rsrsrsrs. Bobona sou. Grande abraço. Mariana

    ResponderExcluir
  9. Ricardo,
    Obrigado pelas maravilhosas lembranças dessa aventura em BH. Conhecer você e todo o BALEAL foi como realizar um sonho. Além disso, comi mais doce do que devia e corri mais rápido do que o planejado.
    Iiiii, adorei a possibilidade do Miguel ter duas bocas.
    Valeu!
    Gilmar

    ResponderExcluir
  10. Muito bom esta primeira parte do seu relato Ricardo.
    Adorei foi as imagens tiradas lá do mirante onde se vê BH inteira. Muito bacana mesmo.
    Quero conhecer isso um dia. hehe

    Foi um prazer conhecê-lo.

    Abraço e estarei no aguardo da segunda parte.


    tutta - BALEIAS/PR
    www.correndocorridas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Hei Querido,

    Confesso que guardar segredos não é o meu forte...pelos amigos acabei pregando uma fita crepe na boca....kkkkk
    Quanto a promessa feita é só marcar a hora do voo... Estarei de prontidão com o cafezim quentim e pão de queijo fofim...

    Bjks

    Meire/BH-MG

    ResponderExcluir
  12. Amigo, na próxima pão de queijo quente, empada quente de queijo com goiabada e algumas cervejas, o guia vai direto ao mercado central sem desvio ou paradas. Obrigado por tudo.
    Abraço

    Marcão

    ResponderExcluir
  13. Serio isso???? Rsrsrsrsrsrsrs
    Mas v tem que perdoar, eu estava atordoada naquela prova desde o momento que o taxi cruzou aquela ponte inteirinha e me mostrou uma grande elevação...
    Ahhhh
    Eu tenho que admitir que as vezes eu nem me reconheço mesmo kkkkk cabeça a mil faz isso, falta atenção rsrs
    Me perdoa né????
    Muda tudo agora
    Super feliz em revê-lo :)
    Bjos

    ResponderExcluir
  14. Ricardo te desejo um Feliz Natal e que 2012 seja repleto de paz, saúde, felicidades e realizações, que a chama da corrida continue sempre forte, e que vc possa desfrutar de muitas largadas e chegadas...

    Abs

    Fábio
    www.42afrente@blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Ricardo parabéns pelo relato. Pena que tivemos tão pouco tempo para conversar... Hoje mesmo estive almoçando com o Leo e a Mayumi e me lembrei daquele dia do Rio onde conheci vc e o Leo. Vcs foram muito bacanas nos ajudando e levando para almoçar. É o tempo passa...isso foi pra lá de 2008 se eu não me engano...
    Leo está voltando para o Rio a partir do dia 22 e provavelmente vai voltar a correr com os amigos daí do RJ. Quem sabe em breve não volto por aí para um novo almoço?
    Um grande abraço
    Marildo Nascimento
    www.4corredores.com.br

    ResponderExcluir
  16. Grande Ricardo! Cara, Pampulha já tinha valido a pena por ter conhecido você pessoalmente...és mais feio que no mundo virtual, mas muitoooo mais gente boa tbm! rsrsrs E corre pra caralho, porra...fui me meter a te acompanhar nos 4 últimos km e quase não dei conta do negócio...nunca mais...não da de brincar com você....Estarei no RJ em junho, para a Maratona, nos vemos muito em breve! P.S. Estive também na rua do amendoim e cara, o carro andou sozinho mesmo, eu estava lá! Você que é Eng. pode explicar?

    Forte abraço Ricardo!

    ResponderExcluir
  17. Esqueci de assinar: Felipe de Souto

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar aqui seu comentário. Boas corridas!!