quarta-feira, 20 de julho de 2011

III - Maratona do Rio de Janeiro 2011

Começo esse relato com a primeira de uma série de constatações: Maratona sem Picanha é igual churrasco de alcatra...é bom mais não tem graça. Paulo Picanha esteve presente nas minhas duas maratonas anteriores, e em ambas fizemos uma bela disputa. Em PoA(2010), ele perdeu. No RJ(2010), ele venceu por pouco, pela caridade que fiz com Wu, optanto por não humilhá-lo já no nosso primeiro encontro na bela distância. Picanha, fico feliz ao vê-lo de volta às corridas, na certeza que em breve teremos grandes disputas. Enquanto isso não ocorre, vou atrás do seu record no ranking do Júlio, pois não posso dar mole de deixar você na minha frente ali. 3:52:27 vai ser osso, mas eu vou te buscar.

A segunda, maratona são muitas disputas em uma. A principal, mente x corpo. E dessa disputa eu sigo com a sensacional definição de Miguel Delgado: "Maratonas se corre com a cabeça, treinamos o corpo para ele não atrapalhar muito". Além dessa disputa, a diversão de percorrer os 42km estão nas disputas com os amigos. E nesse quesito, a maratona do Rio 2011 foi muito proveitosa. Senão vejamos:

Dei o troco no camarada Namiuti, que na versão 2010 me esculachou. Ele também esteve presente em todas minhas participações em maratonas, e desempatei o placar para 2x1. Seguimos juntos por quase todo trecho monótono do recreio a barra, e ali ele largou o pelotão. Curioso que eu já não o via no horizonte,  e já tinha aceitado a derrota, mas assim como o futebol, a maratona é uma caixinha de surpresas. Por um capricho 'natural', ultrapasseio-o sem me dar conta, e só soube da vitória lendo seu relato. Valeu por tudo camarada, e que venha nova revanche. Não amarele para Búzios.

Miguel Delgado também amargou uma derrota, e empatamos o placar no RJ. Ele está numa momentânea fase não competitiva, mas não está aguentando tanta gozação dos companheiros. Rumores existem que ele volta com tudo em breve, prometendo acabar com a euforia de Wu.

Graças ao Marcos (bonitão), foi possível vencer Meire. Só assim, com caridade e despreendimento da querida amiga de BH, para vencê-la. Meire, você arrebentou ajudando o Marcos em sua estréia, mas terá que amargar para a eternidade a única derrota para mim na sua carreira. Já me sinto realizado.

Também cometi a façanha (primeira e única) de vencer Ênio Japa, essa ficará para a história e para os anais do pedestrianismo. E o xará, grande amigo e companheiro de aventuras, amargou a primeira derrota. Com esse a disputa promete grandes emoções no futuro.

Mas o mundo não é só alegrias e festas...perdi novamente para Guilherme Maio, que mesmo não gostando, fez uma grande prova. Só um capricho do universo para vencê-lo novamente. E Wu, merece um parágrafo a parte, mas vamos à prova.

Como no ano passado, os prolegômenos ficam a cargo do excelente relato do Namiuti (ou Ney, como preferir). Já deixo aqui registrado que para termos sucesso  nessa maratona, teremos que abrir mão do "showdízio" da véspera, e consequentemente, do rondeli de prestígio.

Na largada sai na companhia do xará, mas quando, assim que passamos no pórtico, ele  reduziu para bater na mão do Marílson, eu já sabia que ele iria perder. Era muita energia para sua carcaça. Por isso, sabiamente, optei por não saudar o grande campeão. Fizemos a volta de apresentação (à Ivo Cantor) e avistei um mini pelotão Baleias, formado por Miguel, Marinês e Ênio. Cheguei fazendo festa no pelote, mas, como diz a Verônica, o pace do pelotão estava muito "jogo de damas" (quando a coisa está monótona, como o jogo de tabuleiro), cheguei com pace mais forte e optei por mantê-lo e perder a festa da companhia do gordo no infinito retão do recreio à barra. Nesse ponto o xará já sentiu o baque da palminha no Marílson e ficou para trás.

Bati papo com dois corredores de SP, um estreiante na distância, e se deslumbrando com o percurso e o calor ainda na reserva. Não quis desanimá-lo logo no início, mas disse que o que vinha pela frente seria muito melhor, tanto em beleza quanto em calor. Ficou para trás. E o segundo paulista, já me perguntava onde seria bom pegar ônibus para chegar ao Flamengo, pois vinha da maratona de SP, e não conseguiria completar. Disse que o melhor seria no Leblon (sacanagem, só para ele ter que subir a Niemeyer). E que seria em torno do km 29. Soltou um palavrão. Nesse ponto o Namiuti encosta, dizendo que eu estava com ritmo muito inconstante. Seguimos juntos até quase à barra. Ali ele abriu cerca de 100m na subida do primeiro elevado e não mais o vi até a chegada. Mais uma derrota, pensei.

No primeiro túnel, a alegria de ver Meire e Marcos, correndo juntos...ah o amor! Na saída do túnel, a alegria de passar por Hideaki caminhando (ainda ganharei dele um dia, com sua técnica matadora após o km 33), e seguir com ele até a entrada de São Conrado, passando antes pelo espetáculo do túnel da light. Se no ano passado foi emocionante o jogo de luz, neste ano eles passaram dos limites. Só quem passou ali é capaz de saber. O que eles nos reservam para o próximo ano? Ali encontrei o grande treinador Branca, esperando seus alunos. Chamei-o, ganhei um abraço, tirou uma foto, perguntou se precisava de algo, e me desejou uma excelente chegada. Pessoas como ele fazem a diferença! Vi-o ajudando tanta gente no percurso, anônimos, que não são seus alunos, mas isso não importa para ele. Mandei por ele lembranças à Mayumi. Consiga a foto para mim tá Mayumi?

Niemeyer a frente, e estava preparado para ela, que foi o começo da derrota no ano passado. Reduzi o passo e subi sem caminhar, passando muitos caminhantes, dentre os ilustres, Eduardo Bustamante, que por ter esquecido o chip no carro, não terá a honra de ter perdido de mim, pois os auditores não conseguirão evidenciar sua derrota.

Chegada ao Leblon e depois Ipanema, e esse trecho eu gosto. O povo estava animado (coisa rara no RJ) e a campanha da olympikus levou o povo pra rua, com dizeres muito legais. Foi uma grande sacada. Preciso ver Copacabana como a princesinha do mar. Ali foi sempre difícil, e dessa vez não foi diferente. A começar pelo isotônico, que me embrulhou o estômago e por pouco não me faz vomitar. Tive que dar a primeira caminhada por isso, e foi o precedente para novas caminhadas nesse trecho que não entendo sua mística de me fazer andar. Tentei de tudo para me distrair e passar logo por ele, mas nada adiantava, e para piorar, o number two dava claro sinais que estava na área, algo comparado a cabeça da tartaruga a sair do casco, manja?

Com uma trégua momentânea do two, saquei o mp3 e me embalei na lembrança dos amigos. 'I will survive' foi a primeira da lista aleatória, e era a mensagem que eu precisava, eu iria sobreviver, apesar de tudo! Marli, valeu mais uma vez. Ainda em Copa, segue 'School', e eu queria o pace do Regis junto com a música, mas como seu início é bem "jogo de damas", aproveitei para caminhar, e na hora que ela animou, fui firme, até encontrar o Pinguim quebradinho e caminhando também. Gritei, ele bateu foto, e ao ver o manto coral, disse que Wu estava caminhando logo ali na frente. Foi uma injeção em ambos, ele para fotografar o momento da ultrapasagem, e eu para repetir a dose de 2010. Isso já era quase na virada para a Princesa Izabel e fim da orla. Ali entrou 'Changes', e eu sabia que o Guilherme já deveria ter chegado. Amarguei a derrota. Na saída do túnel, 'burning heart'. Silvio acertou em cheio, não apenas o coração. mas tudo estava fervendo. Em seguida, no curvão de botafogo, entra 'dancing with myself', não dancei, mas caminhei um bocado com a Jacke na lembrança e sorri para todos, como ela. No ponto onde encontrei Wu caminhando no ano passado entra 'Wherever I May Roam', xinguei Felipe e todas as gerações! Nada de Wu aparecer! Eu não tinha condições para o pace dessa música...mas Felipe, você não tem culpa, eu gosto é disso mesmo! Já dava para ver o pórtico, e dessa vez já sabia que a Júlia não estaria ali para a tradicional foto da chegada. Passo na placa do 42k, vibro como nunca, para abrir o sorriso e percorrer os 195m mais emocionantes da história. É muito bom tudo isso, e cruzo a meta com a música do Gilmar, 'just the way you are'.

A última constatação, deixo para o final, pois é quebra de paradigma na preparação para maratona. Meus maiores treinos longos foram apenas 2 de 20km! Isso é Ironguides. Terminei bem, com 4:h40', bem abaixo do ano passado. 2012 promete ser A maratona do RJ para mim, preciso vencer Copacabana, e a preparação mental para tal já começou.

Na chegada, revi amigos, ouvi lindas histórias e fui embora feliz para casa, para abraçar a família.

Até a próxima.

RJ, 17 de julho de 2011

28 comentários:

  1. Ei Ricardo, que relato bacana ... com várias ultrapassagens e vitórias físicas e emocionais. Gostei muito! Dá para ter uma noção do que nos espera na nossa primeira Maratona que será em 2012.
    Parabéns pela prova! Acho que te fotografei quando estávamos na terrível orla de Copa :)

    Grande abraço, parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Tô gostando dessas disputas pessoais...
    O ranking está esperando de folhas abertas rsrsrs
    Parabéns por mais uma maratona completada.
    Abraços Pernambucanos
    Júlio Maratonista Cordeiro

    ResponderExcluir
  3. Você é uma cara fantástico, Hoffmann!
    Perdão pela "rasgação de seda", mas essa da energia do Marilson ter "sobrecarregado a carcaça" do Tio, foi fenomenal!
    Me ajude com o seu xará, pois ele ficou de cara virada comigo, já que não fiquei em Niterói e agora preciso da sua intermediação para não perder a amizade que me é muito necessária.
    Parabéns pela melhora expressiva e boa sorte na busca pelo tempo do Paulo Picanha!
    Ass.: Guilherme.

    ResponderExcluir
  4. Olá querido.... Perder prá você é um prazer, uma honra. Parabéns pelo resultado e por mais essa conquista. Seu relato é simplesmente maravilhoso eu amo ler tudo o que vc escreve.... Agora só um pequeno detalhe.... Prometi ao bonitão correr ao lado dele somente a primeira maratona, então de agora em diante é cada um por si.... Guarde a sete chaves esse resultado que pela sede que eu estou nas próximas maratonas acho muito dificil essa façanha acontecer nos próximos 100 anos....

    Bjks

    Meire/Baleias - BH/MG

    ResponderExcluir
  5. valeu a pena esperar: o relato está simplesmente maravilhoso!!!

    essas ultrapassagens, então kkkkkkkkkkkk
    caramba, o number two aterrorizou a vida de muita gente nessa prova! kkkkkkkkkkk

    o wu está ganhando todas!
    e eu torço é por ele, todo mundo já sabe! kkkkkkk
    miguel logo mais voltará a animar essas disputas;)
    não conhecia essa máxima dele:"Maratonas se corre com a cabeça, treinamos o corpo para ele não atrapalhar muito"
    já coloquei essa pérola lá no meu blog;)

    cada vez mais me convenço de que as músicas têm uma influência poderosa na minha velocidade!
    no meu último desafio, fui salva pela beyoncé! kkkkkkkkk

    prova linda!
    em 2012, espero ter a honra de fazer parte de toda essa festa, e claro, das disputas! kkkkkkkk

    parabéns, ricardo, pelo relato lindo, e por conquistar tão bem mais esse desafio!

    bjs
    http://elismc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Marcos Bonitão da Meire20 de julho de 2011 11:44

    Parabéns Ricardo por sua superação eu e a Meire
    ficamos muito felizes com seu sucesso. Você pode curtir a vitória sobre a Meire somente até o próximo encontro rsrsrsss... E abre o olho estou chegando devagar mas eu chego...
    Abrs

    Marcos bonitão da Meire
    Baleias

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pela conclusão da prova, pela melhora no tempo de 2010, pelo fantástico relato e pela vitória legítima, meu camarada. Se eu tivesse levado menos tempo na casinha, a gente chegava junto, mas "se" não existe nas corridas, hehehe... A boa disputa segue numa próxima oportunidade (Búzios vou ficar devendo, infelizmente). Obrigado novamente por tudo. Abração pra toda a família!

    ResponderExcluir
  8. Oi Ricardo,

    Belíssimo relato e fiquei com uma pontinha de inveja em não estar aí com vcs. Quem sabe no ano que vem. Nem que seja pra passear já que não conheço o Rio.

    Gostei da frase do Miguel e pra quem já começou os treinos para a maratona de Curitiba em novembro é um ótimo mantra. Vou lembrar disso em todos os meus treinos longos.

    Parabéns, vc fez uma excelente prova.

    Bjos,
    Dani
    correndoemagrecendo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Hoffmann, belo relato, muito legal, parabéns pela conclusão da prova, somente quem bota o tênis no asfalto e vai correr sabe como é difícil. Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Se estamos empatados, em 2012 vamo pro tira-teima. E vai ser com direito a um novo record............

    Parabéns pela conclusão da prova. Belíssimo relato.

    Paulo Picanha

    ResponderExcluir
  11. Belo relato Ricardo!!! E parabens pelo resultado, nao foi facil viu... to dolorido até agora.

    E ano que vem espero voltar.

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Fala Guerreiro !!!
    O método está então aprovado?
    Show de bola !!!!
    Belo relato e bela prova.
    PARABENS !!!!

    ResponderExcluir
  13. Ricardo,

    o Pinguim (fotógrafo da Contra Relógio) tratou de registrar nosso apoio e sorrisos na orla de Copa :) Te mandei as fotos!!!

    Agora é só planejar as provas para 2012!

    ResponderExcluir
  14. Ah eu juro que me mato se não participar desta prova fantastica ano que vem =( mas claro com uma distância menor,para uma maratona eu terei que correr mais,comer mais,crescer mais e tudo mais.
    Parabéns por mais uma maratona o relato esta 1000.

    Fabi

    ResponderExcluir
  15. Olá Ricardo. Belo relato. O ano que vem quero fazer essa prova. Belas disputas com os amigos hein...um abraço e e bons treinos...


    http://nerdcorredor.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Meu caro amigo. Essa prova é linda e a constelação de amigos a faz mais linda ainda. Mas me surpreendi comigo mesmo e não fiquei feliz com o que vi. Estou em manutenção. Abraço forte, você é um grande cara. Miguel Delgado.

    ResponderExcluir
  17. Ricardo,
    parabéns pela prova e pelo relato.
    Ano que vem vou pedir ao Namiuti para trazer uma "quentinha" do famoso "rondeli de prestígio".
    Abraço.
    Jorge Monteiro

    ResponderExcluir
  18. Hoffmann, rapaz começo este comentário muito mais do que pedindo desculpas é pedindo perdão. Eu não saquei que você era você, naquele momento que eu e o Fabio Matheus encontramos com você, Jorge, Namiuti... me desculpe! Posso agora dizer que fui mais uma das minhas várias confusões mentais durante esta maratona (veja o meu relato rs). Também sai de fininho aquela hora né... tava segurando o enjoo que passei desde a região do botafogo, na volta, dentro do táxi ainda bem o FMatheus me proibiu de soltar tudo ali dentro rs.
    Mas enfim, vi que apesar do pouco treino, fizeste uma boa prova. Parabéns e até uma próxima, prometo ser mais educado rs.
    Abrx, Michel - Vinac
    http://bmw-runner.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Olá Hoffmann,

    Parabéns pela prova e incrível o seu relato! Olha, eu também preciso aprender a superar aquele trecho de Copacabana, por mais que a praia seja bonita, o tal do muro fica bem ali. Sugestão para o nosso playlist do próximo ano, pelo menos para este trecho: Barry Manilow, cantando "Copacabana"!

    Abraço e que venham as próximas!

    Claudio Rinaldo
    http://numerodepeito.blogspot.com/
    http://cicloviadigital.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. ---------\\\\|/---------
    --------(@@)-------
    --ooO--(_)--Ooo--
    Aeee Baleias pelo visto esta Maratona do Rio foi de tirar a onda com os corredores que correram mais do que vc nas outras hein...rsss...Obrigado por ter me chamado na largada, cara é muita gente e fica dificil de falar com todos...Parabéns por mais um desafio concluído.

    Bons treinos,

    Jorge Ultramaratonista
    www.jmaratona.com

    ResponderExcluir
  21. Uhuuuuu!!!!

    É isso mesmo, você desafiou o Ênio???

    Adorei o seu relato!!! Depois de duas Meias no Rio, estou procurando climas mais amenos... de preferência frios!

    Nos encontraremos em Londrina?

    Beijão!

    ResponderExcluir
  22. Mais uma maratona na conta , é isso aí amigo Ricardo ., belo relato , um dia chego a esse estagio !!
    E dia 07/08 estamos juntos na corrida da Petros ?

    Abraçoss

    Romildo

    ResponderExcluir
  23. Parabens Ricardo, pela Maratona e pelo relato. Estou chegando neste meio dos sub-5hs.

    ResponderExcluir
  24. Parabéns Ricardo pela excepcional prova.
    O relato ficou show. Me senti até dentro da disputa. hehe
    Abraço.


    tutta
    www.correndocorridas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  25. Ricardo falar parabéns para vc seria muito repetitivo. É melhor logo tratá-lo de Campeão da Garra, pois vc vem surpreendendo a cada dia com a sua determinação. Só não vale fazer sacanagem com paulista né? afinal somos todos irmãos...risos
    Um grande abraço
    Marildo Nascimento
    www.4corredores.com.br

    ResponderExcluir
  26. Parabéns Hoffman
    Rumo a 2012 agora!!#aisim
    Abraço
    Colucci
    @antoniocolucci
    http://toticolucci.blogspot.com

    ResponderExcluir
  27. Grande Hoffmann! Porra, depois dessa prova 'descambou' nos posts! Cara, você ganhou de todo mundo?! Brilhante, deixou a galera comendo poeira, corrida em casa é isso mesmo, não pode facilitar! Parabéns pela prova! Cara, Wherever I May Roam numa hora difícil é foda...é de entortar mesmo...eu teria tirado o fone do ouvido!
    Valeu irmao!

    Felipe

    ResponderExcluir
  28. Nossa Ricardo, nada que eu escreva aqui vai fazr sentido. Tuas linhas são bálsamos... profundos de emoções.
    Emoções sentidas, emoções oferecidas aos outros.
    Correstes essa Maratona em várias fases, vários movimentos.
    Nada saiu de uma planilha equilibrada, mas sim de um coração e uma mente grandiosa e humana que fez de um desafio uma grande disneylandia de realizações.
    O teu placar saiu pra lá de depositivo... Parabéns, és um grande corredor e um grande ser humano. E a música te acompanhou em que momento?
    Abraço,
    Ingrid

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar aqui seu comentário. Boas corridas!!