terça-feira, 7 de outubro de 2008

Técnicas Verticais

A turma que pratica escalada avalia a dificuldade de uma via através do grau da mesma.

Como as subidas são o terror de muitos corredores, e como teremos na meia do RJ no próximo fim de semana uma escaladinha grau I, subida da Niemeyer, posto aqui a dica que encontrei no blog do Rodolfo Lucena para enfrentar os paredões.

Dica para correr melhor em subida
Motor de proa

Vez que outra, coloco aqui alguma coisa que aprendi ao longo desses anos de corrida.

Como sempre digo e aviso, não sou técnico nem especialista. Falo de coisas que me ensinam e que, pelo menos no meu caso, deram certo.

Uma delas foi uma dica que ouvi um dia, quando arfava e bufava para subir a lomba da Biologia, muito conhecida dos corredores que percorrem o circuito da Cidade Universitária da USP.

Um sujeito bem mais veterano do que eu me orientou: "Mexe mais os braços, mexe mais os braços". E, emparelhando comigo, explicou que a movimentação ajudava a melhorar o equilíbrio do corpo e ainda funcionava como uma espécie de motorzinho, "puxando" a gente para cima.

Sei lá se a explicação está correta, mas o certo é que, aumentando a movimentação dos braços durante a subida, ela fica mais fácil e você consegue, pelo menos, manter sua velocidade média. Além de receber um incentivo de seu corpo: se as pernas se arrastam, os braços se agitam e avisam as pernas que não podem ficar paradas.

Cada um, é claro, vai ter de encontrar o que é, para si, esse ritmo mais forte da movimentação dos braços. E não estou falando de sair com os braços girando alucinadamente. É só aquele movimento pendular, comum, que normalmente fazemos e de deve ser acelerado um pouco lomba acima.

Em contrapartida, na lomba abaixo é importante enrijecer o abdome, organizar o corpo, largar os braços, soltar-se para reduzir o impacto e defender as engrenagens todas.

Se você experimentar essas dicas e tiver comentários, sou todo ouvidos (ou dedos no teclado, sei lá...). Ou, se tiver outra dica, ela também é bem-vinda.


Li essa dica na semana passada, e a coloquei em prática no fim de semana. Para mim funcionou muito bem. Mas faço coro com o Rodolfo, cada um sabe de si. O que vale para um pode não dar certo para outro. Aliás, nos comentários desse post, muitas outras dicas apareceram...testem e confiram... só não sugiro testar in loco, no dia da prova. Hideaki, gostei muito de sua dica também, estou usando uma combinação de remadas com locomotiva rsrs.

Segue altimetria da meia maratona do RJ. Já começamos subindo, e a conquista dá-se no segundo quilômetro.
Boas escaladas!! E boas corridas!

22 comentários:

  1. Hoffmann, esta certissimo isso ai da subida faltou apenas acrescentar que devemos inclinar o corpo um pouco pra frente, isso tira a sensação de subida, teste e depois me avise...Abcs Regis

    ResponderExcluir
  2. Grande Regis, você está corretíssimo..essa dica da inclinação consta lá nos comentários do post do Rodolfo tb, bem como muitas outras...são muitas opções para testar rsrsrs.. Valeu a dica. Abração!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ricardo, eu tô mais empolgada com essa Meia do que propriamente preparada. Treinei muito menos do que precisava. E essa subida me preocupa. Como aqui em BH temos muitos morros, tento dá uma relaxada e não ficar pensando muito neles. Tá indo uma galera aqui de Minas para essa tão comentada prova. Quem sabe nos encontramos? Seu blog como sempre com dicas valiosas.Abraço. Lana.

    ResponderExcluir
  4. Oi Lana. Como a subida é no começo da prova, e vai ter aquela muvuca, acredito que vamos fazê-la trotando mesmo, vai ser tranquila. Apareça na barraca ACORUJA quando chegar no aterro, para conhecer a turma de blogueiros aqui do RJ. Até lá!

    ResponderExcluir
  5. Olá Ricardo. Obrigada pelo comentário que você deixou no meu Blog. Nos encontramos domingo, e que consigamos todos completar a prova bem. Abraços, Aline

    ResponderExcluir
  6. Ricardo,
    Legal o link com o blog do Lucena, que é excelente, por sinal.
    Parabéns pelo post.
    Você não quer vir aqui para SP para encarar a subida da Biologia na prova da Volta da USP (10 km no dia 18/10, link: http://www.ativo.com/eventos/mostraEvento.aspx?idEvento=830
    Obrigado !
    Ass.: Guilherme.

    ResponderExcluir
  7. Com certeza Aline, até lá!!

    Guilherme, como ouço falar dessa lomba da biologia. Tenho curiosidade em conhecê-la. Para o próximo fim de semana não dará, infelizmente. A meia da corpore passa nela??

    ResponderExcluir
  8. Não, Ricardo.
    Acho (se não estou enganado) que esta Volta da USP é a única prova (competitiva) que passa pela "lomba" da Biologia.
    No mais, só em treinos para se "escalar" a dita cuja.
    É no sábado dia 18/10, a 11 dias, portanto.
    Eu vou.
    Se você quiser ir, é só me dizer.
    Valeu !
    Ass.: Guilherme.

    ResponderExcluir
  9. Até onde sei, a Volta da USP é realmente a única prova, de inscrição aberta para todos, que passa pela "Rua do Matão". Corri há dois anos, na época que ainda nem tinha um ano completo de corridas. Caso não tenham mudado, a subida é logo no começo. Nesse aspecto, a prova (como um todo) é mais "fácil" que a São Silvestre, pois não há necessidade de poupar energia, mas a subida é puxada. Na época que eu estudava lá, fazia uns treinos na Rua do Matão.

    Mas se quiser desafiar mesmo uma subida em São Paulo (Estado), fica o convite para o Desafio da Mata Atlãntica, em Cubatão, no começo de Julho. Diferença de 600 metros de altitude, divididos em 7,5 km, com belíssima paisagem e hidratação em TODOS os kms, kkkk.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Famosa Lomba da Biologia... eu, que estudei por lá, lembro de ter que subí-la e descê-la carregada de livros e sem as roupas e os calçados confortáveis dos corredores. Garanto qeu não é nada fácil para nenhum dos dois, nem estudantes, nem corredores.

    Mas acho que na Meia vai ser tranquilo, já que é bem no começo. É só não forçar muito que dá pra fazer sossegado.

    Boa sorte lá no RJ, amigo. Tenho certeza que vai fazer uma grande prova, com ou sem motor de proa :)

    ResponderExcluir
  11. Ricardo uma vez eu disse para o Fábio Namiuti e para o Hideaki que nós corredores e blogueiros somos cobaias, no bom sentindo, agora eu digo para vc, pq através dos blogs dos amigos nós aprendemos e ficamos sabendo sobre os percursos e sobre as corridas ai já vamos sabendo o que vamos encarar, quanto a matéria relatada aqui é ótima, temos que deixar de correr o aterro já está massacrante, enquanto em SP tem várias corridas que tem muitas subidas aqui no Rj não tem quase nenhuma, mais amigo eu lhe convido a correr um cross country que vai ter no Rj no dia 23 novembro serão 20 KM, 10 de ida e + 10 de volta, é pura adrenalina se vc mesmo que disse que gosta de correr na natureza o convite tá feito.

    Um abraço e que venha a MeiA.

    JORGE CERQUEIRA

    ResponderExcluir
  12. Valeu pela informação Guilherme, não conhecia essa prova da volta da USP. Quem é o organizador dela?

    Hideaki, obrigado pelas informações com relação a subida da USP. Sobre a prova em Cubatão, eu a conheci através de seu relato. Realmente, muito punk! Mas ela deverá ser na mesma data do nosso encontro em Foz. Além disso, essa prova é para guerreiros Jedi, e eu ainda sou um humilde Padawan. Quem sabe em 2010!

    Valeu Rachel! Então você tira de letra essa subida, já é literalmente graduada nela rsrs.

    Jorge, beleza de notícia esse cross country! Onde conseguir mais informações sobre ele?? Pior que será no mesmo dia da Corrida Petrobras. Terei que optar.. Até a 1/2

    ResponderExcluir
  13. Muito legal seu blog.
    Continue sempre correndo e se possível de uma passadinha pelo meu.
    Abraço e boas corridas!

    ResponderExcluir
  14. Oi André, inclui seu blog nos meus favoritos. Apareça.

    ResponderExcluir
  15. Ricardo,
    (Acho que)A organização é da USP mesmo, especificamente do CEPEUSP (Centro de Práticas Esportivas da Universidade de SP).
    Mas e aí ?
    O senhor vem ou não ? (risos !)
    Valeu !
    Ass.: Guilherme.

    ResponderExcluir
  16. Marildo Nascimento-http://4corredores.zip.net8 de outubro de 2008 12:30

    icardo meu amigo como esta?
    Tudo bem né!
    Olha estou passando aqui para dar aquela opinião a respeito do assunto e contar uma curiosidade.
    Tem um amigo meu que escreveu uma vez sobre subidas e fez um relato sobre técnica para correr ladeiras. O cara usa o psicologico e pensa estar descendo quando esta subindo e subindo quando esta descendo e diz que isso dá resultado...O cara disse que treinou isso de maneira que seu cerebro encara as coisas de maneira invertida e com isso não sente cansaço. Será possível?
    Bem eu também queria convidar vc e seus amigos para lerem um post que eu coloquei no blog http://4corredores.zip.net com o nome Sindrome de Barrichelo.
    Vale a pena dar aquela lidinha.
    Um grande abraço desse seu amigo

    ResponderExcluir
  17. Valeu Guilherme! Infelizmente não dará...terei compromissos familiares no fim de semana dessa corrida.

    Marildo, quando o assunto é encarar as adversidades, o ser humano tem a capacidade de usar muito bem a criatividade para vencer os desafios. Não duvido que seu amigo tenha dominado essa técnica de enganar o cérebro sim. Existe a técnica da "Marcha reversa", onde sobe-se a lomba de ré, e daí tem-se a impressão de estar descendo ao invés de subindo, ouvi dessa técnica com os japas corredores Mayumi, Hideaki e Namiuti. Excelente o texto sobre a sindrome do pangaré-MOR, altamente recomendado!

    ResponderExcluir
  18. Eu tenho uma técnica semelhante ao citado pelo Marildo. Tanto que as vezes eu escrevo que "desço" as subidas. Porém, ainda não bolei um método de passar essa técnica com responsabilidade. Apenas dou a dica de que, pra você dominar a subida, tem que treinar a descida também (no caso do meu método).

    Em tempo, por mim, eu não posso usar Marcha Reversa em subidas ou descidas, pois eu quebro. (na verdade, não conheço ninguém que usa essa tecnica nas subidas de forma vantajosa). Na primeira vez que fui pra Cubatão, antes da prova, pensei em usar. Ainda bem que esqueci e não usei, e terminei sem andar. Aliás, só usei uma vez, na Maratona de Curitiba. Naquela vez, deu certo pois o percurso esta plano e serviu pra revezar os musculos utilizados na prova. Mas é uma carta na manga. O ideal, é não precisar usar.

    A organização da tradicionalíssima Volta da USP (uma das 10 mais antigas provas ininterruptas de SP e uma das 15 mais antigas do Brasil) é da USP, mas eles sempre contratam uma empresa de cronometragem, nos últimos anos. Não sei qual vai ser a empresa contratada deste ano, só não é nem Corpore, nem Yescom, nem Corpus. Chutaria Chiptiming.

    E respondendo ao Jorge, tudo bem de ser cobaia, mas não me imitem em casa, rsrs

    Abraço

    ResponderExcluir
  19. Valeu Hideaki, a marcha reversa eu não levo nem na manga, pois nunca treinei-a. Quero conhecer seu método, mas isso fazemos quando nos conhecermos pessoalmente. Pretende ir na prova do bar do mané? Sua dica da locomotiva lá no blog do Lucena foi bacana. T+

    ResponderExcluir
  20. Ricardo,

    A história de subir de costas pra parecer que é descida é só figura de linguagem pra deixar relatos e comentários em blogs mais grrrrracinha, como diz a tia-avó Hebe. Nunca usei essa técnica em treinos e menos ainda em corridas. Até já vi um camarada subindo uma ladeirinha de costas em uma prova aqui perto, em Caçapava, mas acho que ele tava era tirando onda também.

    O que eu uso mesmo é o trivial, que a galera citou lá no Lucena e cá no blog: movimento de braço, passadas mais curtas e rápidas e a inclinação do corpo para frente.

    Abraço !

    Fábio

    ResponderExcluir
  21. Ricardo,

    te mandei o mail, tá?

    Abraço

    ResponderExcluir
  22. Hoffmann;

    Técnica do Corretor Corredor para subidas.

    Abaixo um pouco a cabeça e olho logo a frente para o chão; assim não veja quanto falta para terminar...hahahahahaha, sou uma lástima em subidas.

    Abraço, meu velho.
    Maurão.

    ResponderExcluir

Obrigado por deixar aqui seu comentário. Boas corridas!!